Os principais tipos de modelos de e-commerce existentes

Os principais tipos de modelos de e-commerce existentes
Se você curtiu o nosso artigo sobre as dicas incríveis de como obter sucesso com o e-commerce, você também vai gostar de aprender mais sobre os diferentes tipos de modelos de negócios que o e-commerce oferece no mundo digital.
O e-commerce não é nada menos que uma transação comercial financeira entre o provedor e o cliente dentro de uma loja virtual. Desde os primeiros anos de criação da loja online até os dias de hoje, o e-commerce foi se adaptando com as evoluções dos mercados financeiros e as tecnologias, suprindo as necessidades específicas de cada cliente no mercado digital.
Se você está pensando em abrir um e-commerce, continue lendo esse artigo que a Bento Contabilidade preparou especialmente para te explicar sobre os principais tipos de e-commerce que trabalham com os variados tipos de clientes no mercado.
Como dividir os tipos de modelo do e-commerce
As categorias do e-commerce são divididas entre o perfil do comprador e o perfil do fornecedor, além do tipo de canal digital de venda. Ou seja, há inúmeros tipos de modelos com as suas particularidades de vendas de produtos e serviços que são oferecidos e adaptados para o perfil de cada cliente. Separamos em tópicos os principais modelos de e-commerce de acordo com cada perfil:
1. Business to Business (B2B)
Na tradução “Business to business” para o português significa “empresa para empresa”. Esse tipo de modelo é quando o comprador final trata-se de uma outra empresa. O modelo B2B sempre existiu, mas só com o tempo que novas estratégias foram criadas para se qualificar no mercado. As principais vantagens deste modelo são as estratégias de preços, retenção de clientes por estratégias de relacionamento e receita recorrente.

Estratégia de preços: As compras envolvem um maior número de produtos a serem comercializados. Um exemplo simples para explicar essa estratégia é quando uma empresa irá comprar canetas para o escritório. Eles não irão comprar apenas uma caneta para cada colaborador, mas caixas delas para manter no seu estoque. Dessa forma, garantem uma melhor negociação de preços tanto para os clientes quanto para as empresas. Isso não significa que o fornecedor irá sair no prejuízo, pois, os vendedores contam com uma margem para negociar seus produtos. Afinal, sabem que irão lucrar com o maior volume de vendas, e não apenas ganhar com cada produto.

Retenção de clientes por estratégias de relacionamento: A retenção de clientes são estratégias que as empresas ou organizações precisam tomar para reduzir a perda dos números de clientes. Os objetivos das empresas e organizações é captar o maior número de compradores com algumas estratégias, como por exemplo, marketing de relacionamento, ferramentas de CRM (gestão de relacionamento com o cliente) e algumas outras estratégias que são indispensáveis em prolongar as relações comerciais. Isso de fato ajuda a diluir os gastos iniciais e aumentar os custos por captação. Além disso, a retenção de clientes também é uma grande porta atrativa para conseguir novos clientes.

Receita recorrente: É muito comum utilizar receitas recorrentes para prolongar as relações comerciais com os clientes. Esse modelo de assinatura conhecido também por receita recorrente, são empregados pelas empresas para conduzir as necessidades de consumo de cada cliente. Isso é uma forma de garantir a fidelização e a satisfação gerando mais vendas. Em outras palavras, a receita recorrente é baseada na venda de produtos que são pagos com uma frequência pré indeterminada (por exemplo: mensal, bimestral, trimestral, anual, etc.). Portanto, quando o cliente concordar em comprar um bem ou serviço continuamente, ele de fato estará fazendo um pagamento recorrente.

2. Business to Consumer (B2C)
Esse tipo de negócio é baseado na relação comercial entre o consumidor e as empresas através de transações financeiras entre bens e serviços. Diferente do modelo B2B, a venda envolve compradores (que são pessoas físicas) dos serviços e produtos que são negociados. O exemplo mais comum deste modelo B2C são entre o comércio varejista e o comprador final.
Desta forma, o modelo B2C está conectado ao comércio varejista (comprar com menor número de volume), enquanto o B2B está relacionado ao comércio atacadista (comercialização de produtos e serviços entre distribuidores, comerciantes ou fabricantes).
Esse tipo de comércio tem se desenvolvido muito devido a iniciação da web, onde têm se criado muitas lojas virtuais que vendem serviços e produtos. Exemplo disso, são a Amazon, Mercado Livre, Pontofrio, Extra, entre outras.
Embora que seja a mesma coisa com o comércio tradicional, o modelo B2C possui as suas particularidades, isto é, dando maiores informações do conteúdo do produtos para seus clientes.
3. Consumer to Consumer (C2C)
Esse modelo é negociado entre um comprador para outro comprador final, ou seja, a transação financeira do consumidor de produtos e serviços ocorre sempre para outro cliente, sem a participação de uma empresa, embora ocorra uma intermediação de serviços de divulgação eletrônica entre os produtos ofertados por aquela pessoa, como o Mercado Livre ou OLX .
Esse meio eletrônico ajuda as pessoas a venderem uma quantidade infinita, desde uma moto a um livro. Isso ajuda a pessoa a querer desfazer do seu bem e a outra a economizar com um produto de segunda mão, sendo uma estratégia bem lucrativa com a utilização deste modelo de e-commerce.
4. Consumer to Business (C2B)
Esse já é um modelo menos comum do que o que já conhecemos na prática, onde o vendedor é uma pessoa física que vende seu produto para uma empresa. Exemplo clássico é a Shutterstock, empresa de bancos de imagens que tem o objetivo de selecionar os melhores vídeos e imagens para serem comprados.

Qual é modelo ideal para a sua loja online?
Agora que você já teve uma ideia de como criar a sua loja online e obter resultados lucrativos, você precisa de foco, dedicação e estratégia para ter sucesso com o e-commerce. Não basta apenas escolher um modelo. É preciso ter conhecimento financeiro e também em marketing para atrair seu público alvo. Além disso, você vai precisar de um profissional contábil para te dar dicas na regularização da sua empresa e até auxílio na abertura da sua loja online.
A Bento Contabilidade é a empresa de contabilidade especializada para o negócio online. Venha nos visitar! Estamos localizados na região norte de São Paulo.
Se preferir, entre em contato conosco pelo site.